sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Política é assunto para professora e professor … Seja em ano de eleição ou não!


Política é assunto para professora e professor …
Seja em ano de eleição ou não!



Por Marli Dias Ribeiro

         Talvez você já deve ter ouvido a palavra politéia inúmeras vezes nesse  ano de eleição. Essa tal de politéia usada pelos gregos atualmente está na roda de conversa, no rádio, TV, nas redes sociais, nos memes, piadas diversas,  e claro, deve estar na escola. Em nosso português é a famosa política! E política, você gostando ou não,  está relacionada à vida em sociedade, às relações de poder (lembra da  obra “ A Política” de Aristóteles?) ,nas escolhas de grupos, na expressão de opiniões, nas diferenças e conflitos , e nas ações de cada sujeito no mundo social, inclusive, nas relações estabelecidas dentro e fora da escola. E na escola? Nela falamos em Projeto Político Pedagógico.
         A política está presente em nossas ações educativas e praticamente tudo que acontece nas escolas são frutos diretos de ações e omissões de políticas implementadas. Já parou para pensar nisso? Num dos clássicos da literatura, O Príncipe, de Maquiavel, fica clara a luta travada pelo poder, pela manutenção do poder no Estado, o que incluí que os fins nem sempre justificam os meios, e  a política parece  estabelecer esse entrelaçamento cínico.
         A  escola enquanto  espaço social tem ações apoiadas em escolhas, em lutas. Nessa lógica, no âmbito da educação, a Política Pública é afunilada para o que chamamos de   Política Educacional e que pertence ao grupo de Políticas Públicas Sociais. Se a escola e sua comunidade  busca conquistas e uma educação de qualidade a política é o  instrumento de implementação dos movimentos e referenciais educacionais. Ela  se faz presente através da Legislação Educacional e, só para lembrar,  quem escreve a lei, é escolhido por nós, pelo voto, por nossas opções  políticas.  Assim, eu professora, e toda comunidade temos que pensar em política, e pensar muito bem.
         Quando caminhamos rumo à  escola esse embate também existe, seja nas relações professor-aluno, direção-professor, escola-comunidade e outras. O tipo de merenda que chega na escola, a contração e formação de professores, a construção de escolas, as verbas que chegam ou não, o tipo ou modelo de gestão escolar, o currículo, o livro didático, etc, etc, etc… por isso política é assunto de professor, de aluno, de servidor, de todos. 
         Por fim, se você educador não conhece, não debate, não opina, se sua escola ainda não parou para refletir sobre isso, alguém certamente estará fazendo as escolhas por vocês. E o pior é que, nem sempre a escolha do outro, é a favor da escola pública, democrática e de qualidade que nossos alunos e que nossa comunidade tanto sonha,  necessita e merece. QUEM VALORIZA A EDUCAÇÃO ACREDITA NO FUTURO.

FICA A DICA: Fonte de implementação da educação nacional e das políticas em educação  a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), suas  alterações dependem da Câmara Federal, Senado e Governo. Além disso diversas Políticas Educacionais locais são elaboradas pelos  Governos do Estado e do Distrito Federal.



3 comentários:

  1. Que bacana este texto para iniciar um diálogo em nossas escolas. Certamente a tomada de consciência de que política é assunto para a escola precisa ser criada em todos os que participam da vida escolar, inclusive os pais, para que haja educação de qualidade e que promova o desenvolvimento pessoal de toda comunidade escolar. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela visita ao blog. Nosso compromisso é sempre com a educação pública de qualidade. A democracia é nossa base rumo ao diálogo. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela sua forma simples e clara de explicar a política, professora! O debate é sim necessário, e devemos ter o hábito de realizá-lo como forma de construção social e educacional.

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita.

SAEB 2019 : DICAS E NOVIDADES

NOVIDADES DO SAEB  2019 Por Marli Dias Ribeiro A previsão é que mais de sete milhões de estudantes, professores e dir...

VEJA TAMBÉM...