quinta-feira, 17 de maio de 2018

PROJETOS PEDAGÓGICOS UM CAMINHO POSSÍVEL E CRIATIVO


Projetos pedagógicos, você já participou?

Por Marli Dias Ribeiro





Muitos perguntam porque os projetos pedagógicos são utilizados nas escolas em situações tão diversas. Num mundo cada vez mais marcado pela velocidade, pelo grande número de informações, uso massivo de mídias, os projetos baseados na resolução de problemas estão mais que atuais.

Se considerarmos os estudantes que estão na escola hoje, existe o consenso de que, os “jovens de hoje” são mais fruto de um contexto, do que características de uma determinada geração (X, Y, Z), e que estimulados pela sociedade de consumo, suas ações estão diretamente relacionadas ao prazer. Esses jovens parecem ser imediatistas, possuem vontade de saber de tudo no momento em que o fato ocorre, estão inseridos nas redes sociais, realizam múltiplas tarefas sem grandes dificuldades, mas com superficialidade. A baixa concentração e pouca resiliência aparecem em suas ações. Os projetos podem auxiliar nossas ações pedagógicas frente a essa nova realidade.

A discussão sobre pedagogia de projeto não é nova. Ela surgiu no início do século, com John Dewey, e outros representantes da chamada “Pedagogia Ativa”. Nessa pedagogia existe a  concepção de que “educação é um processo de vida e não uma preparação para a vida futura. Nela a escola deve representar a vida presente – tão real e vital para o aluno como aquele que vive em casa, no bairro, ou no pátio”, e acrescento nas redes sociais, nos jogos virtuais, nos celulares, DEWEY (1859).

É importante ainda frisar que há muitas maneiras de garantir as aprendizagens. Os projetos são apenas uma delas. A pedagogia de projetos é um dos modos de organizar o ato educativo indicando uma ação concreta. Nessa lógica, optar por projetos ajuda a planejar tempos, conteúdos, espaços, amplia ideias, favorece a resolução de problemas e nos aproxima dos estudantes.

Por outro lado, rotinas que exigem longos períodos de concentração, textos longos, repetições, isolamento, não estimulam, não motivam os estudantes temos que nos preparar para transformar essas situação, por isso, usamos e  encontramos projetos em escolas de sucesso. Eles oferecem possibilidades que segundo Hernández (1998):

      Estimula criação, cooperação e interação;
      Estimula a democracia;
      Desenvolve a resolução de problemas;
      Faz conexões com o mundo real e virtual;
      Melhora processos educativos sem precisar mudar  radicalmente espaços e pessoas;
      Usa games e mídias em favor do aprendizado,
      Favorece a participação e o diálogo;
      Reforça o protagonismo do aluno e o professor atua como mediador;
      Aceita grande diversidade de atividade dentro e fora da escola;
      Potencializa a INTERDISCIPLINARIDADE;
      É teoricamente consolidado pela pedagogia.

            Projetos escolares inovadores não precisam ser caros! Eles são possíveis e podem aproximar a escola da comunidade e do seu entorno, podem garantir mais participação dos estudantes e melhores respostas a muitos problemas educativos. 

           Mude hoje a rotina da sala de aula, da escola. Inove, invente, recrie, abrace o novo.

    Pergunto a você... Por que não começar um novo projeto?

 Projetos pedagógicos são um caminho possível, acessível  e criativo.


HERNÁNDEZ, Fernando; VENTURA, Montserrat. A organização do currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998. 
Imagem: Arquivo pessoal. 


2 comentários:

Obrigada por sua visita.

O EFEITO GESTÃO ESCOLAR E OS RESULTADOS DOS ESTUDANTES

O EFEITO GESTÃO ESCOLAR E OS RESULTADOS DOS ESTUDANTES Marli Dias Ribeiro O efeito gestão é um tema pouco debatido no Br...

VEJA TAMBÉM...