quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

VOCÊ SABE COMO SÃO ESCOLHIDOS OS DIRETORES ESCOLARES NO BRASIL?



VOCÊ SABE COMO SÃO ESCOLHIDOS 

OS DIRETORES ESCOLARES NO BRASIL?

POR MARLI  DIAS RIBEIRO

    Estima-se que eles são mais de 135.430 educadores. Os diretores ou gestores escolares não são escolhidos de forma idêntica em nosso país. Alguns são eleitos, outros indicados, e ainda, alguns realizam o concurso público para a função. Dados sobre a formação dos gestores e a forma que assumem a função foram fonte de estudo coordenada por Heloísa Luck, em 2010, diretora educacional do Centro de Desenvolvimento Humano Aplicado (Cedhap), em Curitiba. As formas de provimento no cargo estiveram um longo tempo amarradas em indicações políticas, amizades, apadrinhamentos, e nem sempre as questões éticas e profissionais eram consideradas. 


    Apesar de ainda existirem problemas no acesso e formação para exercer a função, com a indicação legal formalizada na Constituição de 1988 a Gestão Democrática  tem se ampliado. Além disso, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação -LDB-  também sinaliza no Art. 3 que o ensino será ministrado com base em diversos princípios e, entre eles, encontra-se a “gestão democrática do ensino público, na forma desta Lei e da legislação dos sistemas de ensino”. Nesse sentido, o acesso através da eleição pela comunidade escolar vem ganhando corpo no país.



   Segundo Luck a eleição é utilizada por cerca de 70% das secretarias estaduais e 87% das municipais. Algumas precedem a eleição a provas ou certificações, e listas de até 5 candidatos ainda podem ser encontradas na indicação de prefeitos, governadores e secretários. Dados da Prova Brasil de 2015 apontam que de modo geral 45% são indicados porque em cidades pequenas são um dos principais líderes na comunidade, fato almejado por políticos. 



    Considero a eleição o processo mais democrático e que apresenta vantagens por dar voz a comunidade.  Junto a eleição, fortalecer os conselhos escolares, os grêmios e associações também são importantes estratégias na escola, e muitas experiências exitosas são visíveis quando a participação da comunidade é forte, porém, ainda temos grandes desafios nesse processo. 


   Em algumas situações o clima eleitoral, o despreparo dos candidatos, a rotatividade no cargo, a inexperiência dos gestores iniciantes, entre outros, são fatores que geram conflitos. Aliás, administrar dinheiro, lidar com pessoas, gerir o pedagógico e todas as atividades de uma instituição escolar não é tarefa para amadores.   
      Um processo de formação bem organizado, entretanto, pode ajudar na organização e no amadurecimento desse processo e não deve servir de desculpas para abrirmos mão de uma democracia que ainda está na infância.

    Democracia na escola começa com nossa participação ativa nas tomadas de decisão, no planejamento e sobretudo em nossas salas de aula. Excessos de burocracia, hierarquia e autoritarismo, falta de diálogo são inimigos de escolas democráticas e do sucesso escolar. CONTINUO ACREDITANDO NA DEMOCRACIA, E VOCÊ?

LÜCK. Heloísa. Liderança em Gestão Escolar. 4ª ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2010
MEC- INEP- Prova Brasil 2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua visita.

SAEB 2019 : DICAS E NOVIDADES

NOVIDADES DO SAEB  2019 Por Marli Dias Ribeiro A previsão é que mais de sete milhões de estudantes, professores e dir...

VEJA TAMBÉM...